Skip to main content

Provas Decisivas

Provas decisivas
Cap. V – Item 19

Clamas contra o infortúnio que te visita e desespera-te, sem reação construtiva,
ante as horas de luta.
Falaram-te do Senhor e dos aprendizes abnegados que o seguiram, nas horas
primeiras, na senda marginada de prantos e sacrifícios...
Queres, porém, comungar-lhe a paz e viver em menor esforço...
Todavia, quase todos os grandes vultos da humanidade, em todas as épocas e em
todos os povos, passaram pelo tempo das provas decisivas.
Senão observemos:
Cervantes ficou paralítico da mão esquerda e esteve preso sob a acusação de
insolvente, mas sobrepairou acima da injúria e legou um tesouro à literatura da Terra.
Bernard Palissy experimentou tamanha pobreza que chegou, em certo momento, a
queimar a mobília da própria casa, a fim de conseguir suficiente calor nos fornos em que
fazia experiências; contudo, atingiu a perfeição que desejava em sua obra de ceramista.
Shakespeare sentiu-se em tão grande penúria, que se achou, um dia, a incendiar
um teatro, tomado de desespero; entretanto, superou a crise e deixou no mundo obras-
primas inesquecíveis.
Victor Hugo esteve exilado durante dezoito anos; todavia, nunca abandonou o
trabalho e depôs o corpo físico, no solo de sua pátria, sob a admiração do mundo inteiro.
Faraday, na mocidade, foi compelido a servir na condição de ajudante de ferreiro,
de modo a custear os próprios estudos; no entanto, converteu-se num dos físicos mais
respeitados por todas as nações.
Hertz enfrentou imensa falta de recursos e foi vendedor de revistas para sustentar-
se; entretanto, venceu as dificuldades e tornou-se um dos maiores cientistas mundiais.
De igual modo, entre os espíritas as condições de existência terrestre não têm sido
outras.
Na França, Allan Kardec sofreu, por mais de uma década, insultuoso sarcasmo da
maioria dos contemporâneos; contudo, jamais desanimou, entregando à posteridade o
luminoso patrimônio da Codificação.
Na Espanha, Amália Domingo Sóler, ainda em plenitude das forças físicas, tolerou o
suplício da fome, na flagelação da cegueira; todavia, nunca duvidou da Providência Divina,
consagrando ao pensamento espírita a riqueza de suas páginas imortais.No Brasil, Bezerra de Menezes, abdicando das fulgurações da política humana e,
não obstante a posição de médico ilustre, partiu da Terra, em extrema necessidade material,
o que não impediu a sua elevação ao título de Apóstolo.
Em razão disso, não te deixes vencer pelos obstáculos.
A resignação humilde, a misturar lágrimas e sorrisos, anseios e ideais, consolações
e esperanças, constrói sobre a criatura invisível auréola de glória que se exterioriza em
ondas de simpatia e felicidade.
Quando o carro de tua vida estiver transitando pelo vale da aflição, recorda a
paciência e continua trabalhando, confiando e servindo com Jesus.
Lameira de Andrade
O ESPÍRITO DA VERDADE
Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira (Espíritos Diversos)
Editora FEB – Federação Espírita Brasileira